Busca rápida X

NOVIDADESComo o WordPress se tornou o maior CMS do mundo

13 fevereiro, 2019

23 julho 2018 / wordpress

Com a criação das plataformas de CMS (Content Management System ou Sistema de gerenciamento de conteúdo), a criação e manutenção de sites deixou de ser um “bicho de sete cabeças”.

Agora, praticamente qualquer pessoa pode criar, administrar e publicar sites de qualidade profissional de maneira rápida e acessível.

Com isso, uma grande quantidade de pessoas passou a criar e administrar sites completos, compartilhando seus conhecimentos na internet sem precisar de habilidades especiais em programação.

Isso gerou uma avalanche de novos conteúdos na web, atendendo a diversos públicos e contribuindo para que ela ganhasse cada vez mais espaço no cotidiano. Incrível, né?

Um dos responsáveis por essa democratização na criação de sites é o WordPress.

Provavelmente você já ouviu falar nele, afinal, ele é o CMS mais utilizado no mundo! Mas você sabe como ele conquistou tamanha popularidade? Se não, relaxa!

Neste artigo você vai entender como o WordPress alcançou esse patamar, além de aprender o que exatamente é um CMS e como você pode se beneficiar dele!

Afinal, o que é um CMS?

Como dito, CMS é a sigla para Content Management System, que significa “Sistema de Gerenciamento de Conteúdo”.

Resumidamente, um CMS é uma aplicação que visa facilitar a criação, gerenciamento e publicação de conteúdo de forma dinâmica.

Existem diversos tipos de CMS e alguns deles são focados especialmente na criação de sites e blogs.

Vamos analisar os CMS feitos para a criação de sites e blogs, como o WordPress.

Esse CMS permite que você possa criar rapidamente seu site ou blog, escolher um tema com a aparência que você preferir, adicionar funções através de plugins e publicar páginas com seus conteúdos.

Ferramenta incrível, né? Mas você sabia que nem sempre foi assim?

A criação de sites antes da era WordPress

Antes dos CMS de código aberto, para você ter um site personalizado era necessário programá-lo ou pagar um desenvolvedor para fazer isso.

Por isso, muitos desistiam de ter sites e alguns poucos corajosos se aventuravam em meio aos códigos, acabando por construir sites com muita dificuldade e limitações técnicas.

Em meio a tantas restrições, nem todo mundo era capaz de ter sites com segurança e aparência profissional.

Além disso, publicar e atualizar os conteúdos dos sites era um processo complicado, pois o programador precisava alterar os conteúdos diretamente no código das páginas estáticas do site e publicar na web a versão atualizada dele.

Todo esse processo era muito demorado e terrivelmente ineficiente para quem quisesse ter um site na época.

Apesar de existir a possibilidade de você pagar para um programador desenvolver um CMS próprio, isso saía caro e nem todos poderiam fazer esse investimento.

Com isso, a maioria dos sites eram estáticos, desatualizados e não tão bonitos como vemos hoje.

Com todas essas dificuldades, quem queria ter um simples blog acabava por usar a plataforma Blogger, originalmente da empresa Pyra Labs, comprada em 2003 pela Google.

Apesar de ser bem limitada, na época ela era a alternativa que melhor oferecia condições para que um blogueiro pudesse iniciar sua caminhada.

Com isso, pode-se perceber como os CMS Open Source (código aberto), como o WordPress, trouxeram maior liberdade para que as pessoas comuns pudessem construir seus sites.

Antes deles, você poderia ser dono de um site e nem se sentir dono dele, devido às restrições e à distância entre você e os processos de desenvolvimento e manutenção.

A incrível história do WordPress

O CMS WordPress foi criado a partir da aplicação b2/cafelog, inspirada no Blogger e desenvolvida em 2001 por um programador francês chamado Michel Valdrighi.

Mas você já pensou em ter seu site em pleno funcionamento numa plataforma e o dono da plataforma simplesmente sumir?

Pois é, foi o que aconteceu com Valdrighi que desapareceu e deixou a comunidade de usuários do b2 sem suporte!

Com essa falta de suporte, Matt Mullenweg, um dos criadores do WordPress e usuário do b2/cafelog, teve a ideia de utilizar as partes mais úteis da aplicação e construir uma nova plataforma com base nela.

Ele postou a ideia em seu blog e logo despertou o interesse de algumas pessoas, incluindo Mike Little, seu companheiro fundador do WordPress.

Vale ressaltar que o b2/cafelog estava sob a licença GNU GPL(Licença Pública Geral) e seu uso como base do WordPress era totalmente legítimo.

Ainda em 2003, o criador da b2/cafelog reapareceu e anunciou que o WordPress seria a nova ramificação do b2 assim que fosse lançado. Além disso, ele ajudou no desenvolvimento do WordPress até 2005.

No final de maio de 2003 foi lançada a primeira versão do WordPress (versão 0.7, pois a última versão da b2/cafelog era a 0.6).

Os anos se passaram e novas versões foram lançadas, adicionando novos recursos e melhorias à plataforma.

Com isso, o WordPress foi conquistando os corações dos usuários e superando as plataformas concorrentes, sendo apontado em 2009, pelo Market Share Report, como a marca com mais força dentre os CMS de código aberto.

No dia 22 de maio de 2004, em sua versão 1.2, o suporte aos tão famosos plugins foi implementado.

No decorrer dos anos diversas alterações de performance, segurança e melhorias foram sendo adicionadas.

O histórico de atualizações do WordPress é enorme e não seria possível abordar cada ponto aqui sem te fazer cair no sono!

Podemos ver que o CMS WordPress não se tornou o CMS mais popular do mundo sem motivo, né?

Inicialmente o WordPress só permitia um único blog por instalação, apesar de que era possível ter mais de um blog WordPress, instalando cada um deles em diretórios e bancos de dados diferentes.

Buscando uma solução melhor, o WordPress Multi-User (uma ramificação que permitia múltiplos blogs) foi criado, sendo fundido em 2010 ao WordPress em sua versão 3.0.

Com o grande apoio da comunidade de software livre e com a aceitação do público, o WordPress continuou crescendo, oferecendo cada vez mais benefícios aos usuários e apresentando novas soluções e funcionalidades em suas atualizações.

Esses esforços foram alimentando o crescimento da marca que conquistou alguns prêmios, além do mais importante: a preferência dos usuários!

A democratização dos websites

Segundo dados recentes do site W3techs, atualizados em 22 de julho, o WordPress é utilizado por mais de 59.8% dos websites que usam sistemas de gerenciamento de conteúdo e em 31,3% do total de sites por toda a web, sendo o CMS mais utilizado no mundo! Impressionante, né?

Estes números comprovam o tamanho da contribuição do WordPress para a democratização da criação de sites.

Afinal, o CMS permitiu que pessoas comuns tivessem cada vez mais presença na internet.

Mas ele não para por aí: sua popularidade não se resume somente à criação de blogs.

A fama tem aumentado, pois graças aos seus plugins esse CMS permite que pessoas comuns possam ter sites completos e cheios de funcionalidades em poucos cliques.

Você pode, por exemplo, instalar um e-commerce rapidamente no seu site sem precisar de conhecimentos especiais. Basta utilizar um plugin chamado WooCommerce!

Graças aos temas do WordPress, qualquer pessoa pode ter um site bonito, responsivo e otimizado para mecanismos de busca, sem precisar entender nada de design, SEO ou desenvolvimento de softwares.

Tudo isso reduz custos, aumenta a inclusão e contribui para o crescimento da internet.

Outro ponto impressionante é a capacidade de personalização dos temas, não precisando ter um site “padrão”, podendo deixá-lo com a cara da sua empresa!

O profissional de marketing digital, por exemplo, pode criar o site de sua agência usando o WordPress e personalizá-lo de acordo com as suas necessidades.

Um site em WordPress, se instalado em uma hospedagem de qualidade (como um Cloud Server), pode oferecer melhor experiência para o usuário, maior estabilidade e consequentemente gerar mais conversões.

Instalando o WordPress na Configr

WordPress é uma ferramenta extremamente valiosa, mas pode acabar não tendo o desempenho esperado se estiver hospedada em um servidor inadequado. Hospedagens compartilhadas, por exemplo, podem não suportar muitas visitas em um site.

Se você precisa de muitos plugins em seu site WordPress, utilizar uma hospedagem de baixa qualidade pode causar lentidão e outros problemas de performance, prejudicando a experiência do usuário no site.

Para desfrutar de toda a capacidade e funcionalidades do WordPress, vale considerar o uso de uma hospedagem Cloud Server de alto nível.

Aqui na Configr é possível instalar seu WordPress em um Cloud Server de maneira rápida e fácil, garantindo máximo desempenho e segurança.

Com isso, você poderá usufruir de todos os benefícios e funcionalidades do WordPress sem medo de quedas e travamentos, oferecendo o melhor ao seu cliente.

Clique aqui e veja como a Configr pode te ajudar a ter o seu site em WordPress.

Tiago Amaral

Tiago Amaral

Estudante de Publicidade e Propaganda. Apaixonado por escrita e redação, escreve e cria histórias desde sempre e se interessa por assuntos como futurismo, growth hacking e content marketing.

Fonte: https://configr.com/blog/como-o-wordpress-se-tornou-o-maior-cms-do-mundo/

ALGUNS DE NOSSOS PROJETOS EM DESTAQUE

VER TODOS

Olá! Clique em um dos nossos representantes abaixo para ter atendimento online.

Atendimento Online pelo WhatsApp